Os meus produtos preteridos Essence • Beleza + Review

07 dezembro 2016 Nenhum comentário


Sabem aquele tipo de pessoa que já tem um post feito há mais de duas semanas, mas se esquece sempre de o agendar? Yap. Essa pessoa sou eu.
Este é mais um daqueles posts, super importantes e relevantes para a sociedade, acerca de maquilhagem. Mais precisamente acerca dos produtos que menos gostei da marca Essence.
Não os comprem.


3D duo eyeshadow; sombra


3D duo eyeshadow | 05 Irresistible first love
Comprei esta sombra por impulso, uma noite antes do ano novo. Queria experimentar fazer um delineado prateado nos olhos, logo acima do delineado preto, sugestão das revistas de moda 2014, e achei que esta sombra ia dar conta do recado.

Não podia estar mais enganada. A sombra não tem pigmentação alguma e é apenas brilhantes, que se dispersam mal o produto é aplicado nas pálpebras. A parte cor de rosa não tem quase cor alguma. A prateada é preciso aplicar mais de cinco vezes para se ver o cinzento.

3D duo eyeshadow | aplicação com o pincel húmido
As sombras são adoráveis, à primeira vista, cintilantes e festivas e com um design bonito, mas a duração não é boa e a fixação muito menos.
São sombras engraçadas para brincar às maquilhagens com a nossa prima pequenina, mas pouco recomendáveis para fazer outra coisa qualquer.


Cumpre o que promete?

Na parte da trás da embalagem o que nos é prometido é dito numa frase pequena e direta: “3D duo eyeshadow: efeitos irresistíveis e textura de longa duração; aplicar com um pincel húmido para um efeito mais intenso”.

Como já mencionei, o produto não é, definitivamente, de longa duração. E também não cria um efeito “wooo” nos olhos. A textura brilhante e pouco pigmentada desta sombra lembra-me aquelas maquilhagens para as crianças, que têm muitas purpurinas e glitter (e que duram menos que um rebuçado) e nenhuma cor.


Voltaria a comprar o produto?

Não. Os brilhos e as cores são muito atrativos ao olhar, mas não cumprem o que prometem. É como aquela história das pessoas que vêem algo a brilhar ao longe e pensam que vão encontrar algo precioso, quando na verdade é apenas um caco de vidro. 
Segundo o site da Essence, estas sombras 3D foram descontinuadas.



Eyebrow designer; lápis para sobrancelha

 
Eyebrow designer | 02 Brown
A febre das sobrancelhas preenchidas e bem delineadas chegou no início do ano e eu decidi aderir à moda. Geralmente, para disfarçar algumas pequenas falhas nas minhas sobrancelhas, e para lhes dar um aspeto mais “volumoso” e simétrico, usava duas sombras, para obter a cor pretendida, e um pincel.
Por isso, para poupar o trabalho, quando este designer de sobrancelhas chegou à Essence pensei: é isto mesmo, vou experimentar.

Só que o resultado não foi bem o que eu estava à espera. O pincel é bastante durinho e faz lembrar a consistência de um lápis de cera. Na minha experiência, se se aplicar com mão leve a cor não transfere para a pele. Se se fizer mais força, o risco pode tornar-se demasiado grosseiro (e esbater com a escovinha ou um pincel não ajuda).

Eyebrow designer | 02 brown
Como não é uma textura cremosa, o lápis não desliza com facilidade na pele e o desenho não fica natural.
A cor também foi uma deceção. O meu cabelo é castanho escuro, por isso comprei a cor 02 Brown, que é a segunda mais escura da gama (sendo a mais escura um lápis preto).

E a cor ficou demasiado… castanha. Um castanho castanha, literalmente. Um castanho artificial, que provavelmente assentaria bem num cabelo castanho acobreado, mas que não casa com os cabelos castanhos escuros que tantas portuguesas e brasileiras têm.


Cumpre o que promete?

O prometido é que com este designer de sobrancelhas podes dar “estilo às tuas sobrancelhas, com um prático pincel para sobrancelhas definidas e bonitas”, segundo o site da marca.

Eu não penso que o lápis seja prático; não gostei da textura, da formula, nem da cor. Mas isso também pode ser uma preferência minha (pois também já habituada à sombra e ao pincel) e acredito que haja quem se tenha dado bem com o lápis.


Voltaria a comprar o produto?

Nop.



Mono eyeshadow; sombra


Mono eyeshadow | 12 Black is the new black
Esta sombra é mais do mesmo que a outra. E, curiosamente, também foi comprada para um ano novo (ninguém faz boas escolhas um dia antes do ano novo).

É uma sombra preta, mate e baratinha. Mas a pigmentação não é das melhores, nem a durabilidade. Ela também borrata facilmente.

12 black is the new black | uma passagem c/pincel húmido
Dá para os gastos, para fazer um esfumado, mas não é nada de especial.


Cumpre o que promete?

Uma sombra de longa duração, em pó super suave”, é o que está escrito na embalagem. E não, não é longa duração. Não é. LieEEeees.


Voltaria a comprar o produto?

Como já mencionei, é uma sombra que “desenrasca”, mas que é preciso ter-se cuidado, para, ao fim de umas horas após a aplicação, não se parecer um panda.
Não voltaria a comprar, investiria um pouco mais de dinheiro numa sombra com mais qualidade.



Easy 2 use; caneta eyeliner




Não tenho foto da caneta, porque ela foi para o lixo três dias depois de ser comprada.

De “easy 2 use” este eyeliner em caneta não tem nada. É impossível fazer traços precisos com o bico da caneta. Não é uma ponta dura, mas sim mole, quase com a consistência de um pincel.

A pigmentação de início é razoável, mas ao fim de três, quatro aplicações, ela não existe. Muito menos se se aplicar por cima da sombra.

Eu não gostei da caneta, tanto por causa da aplicação como pela qualidade da tinta, como pela durabilidade do produto.

Algo que pode ter acontecido foi eu ter pegado num eyeliner que já tinha sido aberto algumas vezes (um dos problemas da Essence é que as pessoas não sabem o que é um tester e adoram abrir tudo o que tenha tampa). Mas antes de comprar a caneta, quando tinha a certeza que a iria levar, experimentei-a na mão e o traço saiu pretinho, então acho que não foi esse o caso.


Cumpre o que promete?

Não. Não é fácil de usar, não é prático, não é pigmentado e não.


Voltaria a comprar o produto?

Fazer um delineado de gatinho já é difícil. E eu não quero que a tarefa se torne ainda mais complicada. Então, não. Desculpa, Essence.

O produto, aparentemente, também foi descontinuado (pelo menos já não aparece no site português).

Estes são os meus produtos preteridos da Essence. Aqueles que não volto a comprar por mais baratinhos que sejam, porque podem estragar toda uma maquilhagem. E vocês, têm algum produto da marca que vos fez franzir o nariz de desilusão?
Também fiz uma resenha com os meus produtos favoritos da Essence, encontra-se aqui




Últimos Lidos #2 • Review

05 dezembro 2016 Nenhum comentário


Design. Canva // Capas das Respetivas Editoras


1. Fangirl, Rainbow Powell

Potterheards e ficwriters, este é o vosso livro. Finalmente uma história sobre nós, amantes do mundo mágico e da ficção de fãs: a história de Cath, que é a fã número de Simon Snow (o que, traduzindo para a vida real, é o Harry Potter) e escreve fanfics sobre ele. É sobre a sua entrada para a universidade e ter de lidar com os seus leitores, com o lançamento do novo livro do Simon Snow (cof cof Harry Potter cof cof), e com a sua vida amorosa um tanto confusa. E já referi que uma irmã gémea, Wren, que decide dar em 'vida loka' logo quando a Cath mais precisa dela? Pois é. Bem, eu identifiquei-me mesmo muito com a protagonista e com a sua vida, e adorei o facto de que finalmente alguém escreveu um livro sobre a vida de ficwriter. 


2. Danças na Floresta, Juliet Marillier

Marillier é a deusa do romance fantástico e não me canso de dizer isso. Adorei tudo sobre este livro, tal como adoro tudo sobre todos os livros dela. Adorei o facto de a protagonista, Jena, ser uma das personagens femininas mais fortes que já encontrei num livro dela, uma mulher determinada e destemida, que não tem medo em meter o dedo no nariz de qualquer homem (especialmente o primo) que tente roubar-lhe a libertade. E depois temos o seu sapinho e meho amigo, Gogu, ser dotado de capacidades especiais de mostrar o seu descontentamento com as coisas (eu acho que ele tem muita sassiness).


3. O Segredo de Cibele, Juliet Marillier

A sequela de Danças na Floresta conseguiu surpreender-me ainda mais pela positiva. Aliás, houve diversos momentos em que pensei estar a ler a trilogia de Alex e Nadia, de Isabel Allende, que é uma das minhas trilogias favoritas de sempre. Tem muitos perigos e aventura, e um triângulo amoroso que não tem nada de irritante (estou a falar a sério; pela primeira vez um triângulo amoroso não me irritou, porque está bem feito), um mistério que se vai desenvolvendo e resolvendo de formas cada vez mais perigosas, com plot-twists incríveis e muito sacrifício. Simplesmente adorei.


4. Miss Paregrine's Home for Peculiar Children, Ramson Riggs

Supostamente é um livro para crianças, mas quando li os primeiros capítulos senti-me como se estivesse a ler uma história de terror, e tenho a certeza que não é suposto as crianças sentirem-se assim. Mas as história cativou-me do início ao fim, com os mistérios a serem resolvidos um de cada vez de formas emocionantes. Todo o universo dos loops é fascinante e a mística por trás do livro é interessante. 


5. Aníbal e Cipião - O Africano, Ross Leckie

Depois de muito tempo sem tocar num livro que se diga 'sério', fui ler dois - complementares um do outro - pseudo-biográficos sobre os famosíssimos Aníbal, O Cartaginês, e Cipião, O Africano (que na verdade era Romano). Ambos são lendas da História militar e conhecidos pelos seus feitos grandiosos enquanto se combatiam um ao outro (pode-se dizer que eram uma espécie de arqui-inimigos). Foi extremamente interessante ler sobre a vida deles e as suas incríveis conquistas.


Faculdade: E agora? #6 - 9 Dicas Para Quem Partilha Casa • Dicas

28 novembro 2016 Nenhum comentário
Design. Canva

Este post faz parte de uma série.
Para leres outros artigos com o mesmo tema, acede a Faculdade: E Agora?
Também podes encontrar este artigo no Uniarea 

Olá, pessoal! Já não fazia um post desta série há bastante tempo, não é verdade? Pois é, eu tenho andado mais dedicada à minha série sobre dicas de blogs e, mais recentemente, numa nova com dicas de fotografia. Também tenho andado a recolher material novo para continuar esta, evidentemente. E eis que, meses depois, aqui vos trago um novo post! Espero que seja útil.


1. Mantém tudo limpinho e arrumado

O teu quarto pode estar a maior bagunça do século, mas o resto da casa não deve. Lembra-te que partilhas a casa com mais pessoas e que a tua desarrumação afeta-os a eles também. Usaste a loiça? Lava-a. Dessarrumaste algo? Arruma. Estiveste a ver TV? Desliga-a antes de ires embora. A sala não é o teu guarda fatos para deixares a roupa espalhada por lá, nem a casa de banho o teu spa privado para deixares tudo sujo. Sê cuidodoso com a forma como deixas as coisas. 


2. Avisa se planeias fazer festas ou jantares

Sim, a casa é tua. Mas também é das outras pessoas com quem a partilhas. É altamente improvável que os teus colegas façam objeções a que leves amigos lá a casa, mas é respeitoso perguntar-lhes primeiro. Para jantares e festas, então, é imperial que fales com eles. Lembra-te que vocês são todos estudantes - ou trabalhadores - e que têm uma vida que requer levantar cedo ou estudar e que jantares e festas podem perturbar isso.


3. Escolhe as tuas batalhas

Um dos teus colegas de casa é terrível - suja tudo, desarruma tudo, usa as coisas dos outros. Ou então até é impecável, mas cometeu um deslize de que não gostaste nada. Bem, pensa muito bem antes de ir ter com a pessoa e discutir o assunto, e analiza se vale a pena. O problema é ter usado a tua pasta de dentes sem permissão? Pode ter sido uma emergência de uma só vez - e se não foi, talvez seja mais fácil guardares a pasta de dentes no teu quarto. Eu sei que é complicado lidar com pessoas que não respeitam as regras, mas viver constantemente a discutir - sobretudo sobre coisas pequeninas - apenas vai piorar o ambiente lá de casa e, pior, quando quiseres discutir sobre algo realmente importante, ninguém te vai dar ouvidos. 


4. 'Não comerás os cereais do colega sem permissão'

Parece a história da paste de dentes outra vez, mas desta vez és tu. Respeita aquilo que é propriedade dos teus colegas. Não uses, comas, bebas ou sujes aquilo que não é teu sem permissão. É simples. Se necessário, usa etiquetas ou marcadores para definir exatamente o que é teu.

5. Conversa sobre os problemas

Ali em cima eu disse para evitar discussões, mas, caso não haja realmente como evitar confrontar o assunto, o que se deve fazer é conversar. Conversar calmamente e sem levantar a voz ou fazer acusasões imediatas. Perguntar primeiro e disparar depois - com balas de borracha, nunca as verdadeiras. O objetivo é chamar à atenção, não é começar uma guerra. Se o teu colega não aceita a conversa e começa a levantar a voz, deves procurar manter-te calmo e fazê-lo ver a razão. Eu sei, mais fácil falar do que fazer, mas tentar não custa.


6. Mantém as contas a tempo e horas

Normalmente as despesas são pagas diretamente a/o senhoria/o, mas há contas que são pagas entre os colegas - seja a conta da TV Cabo, dos produtos de limpeza ou da mulher-a-dias que costuma ir lá a casa. Podes até pensar que são menos importantes e atrasar uns dias não vai ter mal nenhum, mas a verdade é que influenciam a relação que tens com os teus colegas. Mantém as contas pagas a tempo e horas e não faças dívidas com os teus colegas.


7. Passem tempo juntos

Sou culpada por falhar um pouco neste quesito, porque sou o que se chama de 'pessoa ocupada', mas reconheço a importância de passar tempo com os colegas de casa e, sempre que posso, pego no meu computador e vou trabalhar para a sala - em vez do quarto -, ou saio com eles para um café. Conhecer os colegas de casa, criar relações de amizade (ou apenas de boa convivência) é importante para a harmonia da casa e o bom ambiente. Além do mais, quem sabe se não estás a perder um grande amigo por não estares a conhecer as pessoas lá de casa?


8. Estabeleçam regras 

Há coisas de que uns gostam e outros não ligam, e há coisas que uns detestam e os outros adoram. A única forma de encontrar um equilibro é estabelecer algumas regras. Não fazer barulho antes/depois de determinada hora, quais os espaços onde se pode fumar e quais não, o que é ou não dividido (por exemplo, loiça), quem toma banho a que horas (para evitar atrasos porque fulano a ou b demorou demasiado tempo) e por aí diante. E depois, cumpre-as! 


9. Cuidado com o barulho

É muito chato quando estás a dormir muito bem e chega o teu colega bêbado às três da manhã a fazer montes de barulho. Ou então, em situações menos dramáticas, quando a tua colega de casa está a lavar a oiça às onze da noite e não consegues adormecer por causa do barulho das panelas. E aquela colega que decide aspirar o quarto às sete da manhã? Ou aquele que tem sempre a música no volume máximo, independentemente da hora? Pois é. Não queres ser nenhum desses colegas, pois não? Respeita os horários estabelecidos e evita fazer barulho desnecessário.


Extra: Sê independente

Lembra-te que estás na faculdade e esse é o teu primeiro passo para a independência. Por isso, se o teu instinto quando acontece alguma coisa é pegar no telemóvel e ligar aos pais, talvez devas reconsiderar. Tenta resolver os problemas sozinho antes de ligares à família. Põe-te à prova, tenta ser mais independente. Se, de facto, o problema for demasiado complexo, então, sim, liga. Mas experimenta primeiro não lhes ligar. Não podes passar o resto da vida a ligar aos pais ao menos problema, pois não? 





21st Century Girl • Photoshoot

26 novembro 2016 Nenhum comentário


Hello pessoal! Depois de algum tempo, eu volto com um photoshoot! A modelo desta vez é a Beatriz e ela foi absolutamente impecável. Vejam só as fotos obtidas. 





 
Layout base desenvolvido por Michelly Melo. Design e alterações por Rafaela Silva.